Xangai incluiu blockchain, NFTs e Web3 em seu plano de 5 anos

WEB3 e Blockchain

A maior cidade da China, Xangai, pretende oficialmente impulsionar o desenvolvimento de inovações como Blockchain, tokens não-fungíveis (NFTs), Metaverso e Web3 durante seu próximo plano de cinco anos.

Entenda como Blockchain, NFT, Metaverso e Web3 se tornaram foco para a China nos próximos 5 anos.

Em 13 de julho, o Governo Municipal de Xangai publicou um esboço de seu “14º Plano Quinquenal para o Desenvolvimento da Economia Digital de Xangai“. O documento define sua missão de “promover a integração profunda da tecnologia digital e da economia real”, com “cientistas julgando as perspectivas tecnológicas” e “empreendedores descobrindo a demanda do mercado”.

O plano sugere apoiar as empresas que planejam construir as plataformas de negociação NFT e “pesquisar e promover a digitalização de NFT e outros ativos”. Uma seção separada é dedicada a blockchain, com um compromisso expresso de promover o desenvolvimento e aplicação da tecnologia “blockchain+” e construir um ecossistema de desenvolvimento de blockchain com fortes recursos de inovação e controle independente.

Há também um lugar para as ambições do Metaverso, pois o governo municipal planeja acelerar a pesquisa e implantação da plataforma para a interação entre o mundo virtual e a sociedade real, realizando o desenvolvimento de tecnologias centrais e incentivando a criação de novas plataformas com cenários de conteúdo mais ricos e diversificados. O plano enfatiza a importância de novas formas de consumo de entretenimento digital, como shows virtuais, ídolos e esportes.

Uma exploração planejada das oportunidades da Web3 incluiria pesquisar uma multiplataforma OpenID, armazenamento de dados distribuído, um sistema de resolução de nomes de domínio (DNS) descentralizado e tecnologia de comunicação criptografada de ponta a ponta, complementada pela atualização de sua base de hardware e implantação do 6G, Internet Protocol versão 6 (IPv6), tecnologia de rede sem fio de sexta geração (Wi-Fi6) e comunicação quântica.

Embora o plano mantenha silêncio sobre as perspectivas de finanças descentralizadas (DeFi), ele menciona “finanças digitais” com a promessa de promover contratos inteligentes e melhorar a negociação, pagamento e liquidação de ativos, registro e custódia. No entanto, a seção enfatiza a exploração do piloto do yuan digital, a moeda digital do banco central (CBDC) valorizada pelo Banco da China.

Ilustração - blockchain
Ilustração – blockchain

Outras direções não relacionadas a criptomoedas de um plano de cinco anos abordam as questões de cidades inteligentes, energia de baixo carbono, saúde digital, robôs de serviço inteligentes e outros.

Em seu artigo de 26 de junho, Yifan He, CEO da Red Date Technology – uma grande empresa de tecnologia envolvida no desenvolvimento do principal projeto de blockchain da China chamado Blockchain Service Network (BSN) – chamou as criptomoedas privadas de “o maior esquema Ponzi da história humana.”

 

O que são os Planos Quinquenais e para que eles servem?

Os Planos Quinquenais são um modelo de política da China para o desenvolvimento econômico e social de médio prazo, sendo uma “herança” do sistema de elaboração de objetivos e metas de planificação econômica da antiga União Soviética. São, portanto, planos de governo elaborados pelo Estado chinês que proporcionam diretrizes, estratégias e políticas de desenvolvimento nacional para o país durante o período de cinco anos. Neste documento, são traçadas as principais metas sociais, econômicas e também de setores considerados chave pelo governo central, como os setores energético e tecnológico. Além disso, os Planos Quinquenais traduzem as diretrizes, estratégias e políticas de desenvolvimento em forma de metas e objetivos de acordo com a temática, sendo organizados em diferentes capítulos e podendo ser apresentados em termos quantitativos e/ou qualitativos.

As Duas Sessões da Assembleia Nacional Popular (ANP na sigla em português ou Lianghui 两会 em mandarim), consistem nas duas reuniões anuais parlamentares do Partido Comunista Chinês (PCCh), em que os dois principais órgãos políticos do país – o Congresso Nacional do Povo (CNP) e o Comitê Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CNCCPPC) – discutem e anunciam planos para as políticas da China para os setores chave do país, sendo estes a economia, as forças militares, o comércio, a diplomacia, o meio ambiente e outros.

Neste ano, as Duas Sessões ocorreram entre 4 de março e 11 de março, tendo como principais tópicos o rascunho oficial do 14º Plano Quinquenal (2021-2025), ao passo que as áreas de foco foram o desenvolvimento sustentável e a liderança tecnológica do país. O evento contou com aproximadamente 5000 membros da elite política, empresarial e social da China, os quais integram o CNP e o CNCCPPC, constituído de cerca de 2000 pessoas das mais diversas camadas da sociedade chinesa, como empresários e até mesmo estrelas de cinema.