Positivo lança hub de inovação em Manaus para fomentar startups da região

Positivo lança hub de inovação em Manaus para fomentar startups da região

Positivo Tecnologia, que desenvolve computadores, celulares e outros dispositivos, lançou um hub de inovação em Manaus para apoiar startups que estimulem o desenvolvimento econômico e social da Amazônia Ocidental.

A iniciativa faz parte do programa de corporate venture capital da Positivo. Em 2021, a companhia destinou R$ 35 milhões para seu Fundo de Investimento de Participação (FIP) baseado em Manaus para fazer aportes minoritários em startups. Entre as investidas estão a EuNerd, de serviços de tecnologia da informação (TI), e a Agrosmart, de monitoramento de clima.

O objetivo do hub é fomentar startups de diversos segmentos como agricultura, pecuária, análises clínicas, mobilidade elétrica e TI. “Os programas de aceleração serão desenhados com as unidades de negócios da Positivo. Cada programa deverá ter características de busca de startups em estágios diferentes”, afirma Graciete de Lima, responsável pelo programa de corporate venture da companhia.

As startups precisam ter sinergia com a proposta e capacidade de desenvolver negócios na Amazônia. Além de empresas que apoiem a comunidade local, o hub vai acelerar soluções que complementem os produtos da Positivo Tecnologia, a fim de agregar mais valor aos clientes. Segundo Graciete, o hub de Manaus já está trabalhando com algumas das investidas da Positivo, entre elas a EuNerd, que embora tenha sede em São Paulo oferece suporte de TI em todo o país, e a healthtech Pharmalog.

Se aproximando de startups
A Positivo chegou em Manaus em 2015 com a inauguração de uma fábrica no Polo Industrial para a produção e montagem de seus eletrônicos. Em 2017, a compahia inaugurou uma nova unidade e hoje emprega mais de 1,7 colaboradores na região.

O recém-lançado hub complementa o trabalho que a empresa já faz com startups em outras regiões. Em junho do ano passado, a Positivo lançou uma área de negócios no setor de educação com o objetivo de vender, em parceria com startups, tecnologias que apoiem o ensino em escolas públicas e privadas em todo o país.

Batizada de Educacional, a unidade busca aplicações com foco em matemática, STEAM (ciências, tecnologia, engenharia, artes e matemática) e língua portuguesa (apoio à leitura, escrita e ao aprendizado). O portfólio de soluções parcerias inclui a Descomplica (RJ), Nextale (RJ), Educacross (SP) e Vivadí (SP).

“Trabalhamos com startups de todo o Brasil. O Positivo Labs é a entrada e a recepção dessas empresas para que elas possam se estabelecer e se beneficiar por estarem instaladas dentro da Amazônia Ocidental”, pontua Graciete.

A executiva explica que a região oferece vantagens fiscais e regulatórias. A Amazônia Ocidental faz parte da Zona Franca de Manaus, uma área industrial criada pelo governo para atrair empresas, consolidar atividades produtivas e promover uma maior ocupação do território. Promovendo o livre comércio, a área oferece tarifas alfandegárias reduzidas ou ausentes, além de diversos incentivos fiscais. A flexibilidade facilita a importação de peças e componentes para a produção, incluindo dos eletrônicos.

“Além disso, a região tem um histórico rico em desenvolvimento de projetos de pesquisa e desenvolvimento. Nosso objetivo é que esses projetos sejam transformados em negócios e fortaleçam novas cadeias produtivas regionais”, diz Graciete.

O processo de seleção das startups para o Positivo Labs é contínuo, sem uma data limite definida. As interessadas em fazer parte do hub devem enviar um email para startup@positivo.com.br.